Estamos vivendo tempos de extrema e absoluta brutalidade!

O combustível reacende as chamas. E depois do incêndio, novas possibilidades brotam das cinzas. Renovando a irmandade que remonta há quase duas décadas, o AS I LAY DYING apresenta seu sétimo e novo álbum de estúdio, com o título muito apropriado de Shaped By Fire, após sete anos de silêncio. E as suas onze faixas representam o início de uma nova e ousada era para o quinteto de San Diego. "Para mim, este é o álbum mais significativo do AS I LAY DYING", afirma o guitarrista Nick Hipa. "Cada álbum contém quem você é e o que você já passou. Neste momento, passamos por mais do que eu imaginava, mas todos crescemos. Tenho muito orgulho dos meus colegas de banda e do que fizemos. Nós nos tornamos melhores músicos e melhores pessoas. As pessoas ouvirão só coisas positivas de nossa jornada até hoje...". O renascimento está enraizado no impressionante legado da banda. Desde a sua formação em 2000, a banda vendeu mais de 1 milhão de álbuns em todo o mundo, ganhou um Grammy em 2008 na categoria "Best Metal Performance", teve duas estreias no Top 10 no Billboard Top 200, foi ouvida centenas de milhões de vezes nas plataformas de streaming, lotou shows em todo várias partes do mundo e levou para casa o prêmio da MTV Ultimate Metal God de 2007. Após um hiato de cinco anos, em meio a lutas pessoais, os músicos se reconectaram no início de 2018. E antes de qualquer nota musical ser tocada, eles se concentraram em onde tudo começou e um dos pontos fortes da banda: a amizade. "Queríamos facilitar as coisas?, relembra o guitarrista Phil Sgrosso. ?Nós nos conectamos primeiro como amigos novamente. Então começamos a discutir o que poderíamos fazer musicalmente. Muitas ideias surgiram e decidimos fazer um show em San Diego". O citado show, que teve todos os seus ingressos vendidos em dois minutos, serviu como o primeiro de uma série de ?pequenos objetivos? a serem alcançados, de acordo com o baixista Josh Gilbert. Tendo esse apoio esmagador, eles resolveram lançar o single ?My Own Grave?, que foi 13 milhões de vezes ouvida no Spotify em poucos meses. Simultaneamente, os músicos escreveram e gravaram o que se tornaria ?Shaped By Fire?, assumindo as rédeas da produção e engenharia, com uma pequena ajuda do velho amigo e colaborador Adam D do Killswitch Engage. Desta vez, a gravação aconteceu de forma individual para permitir capturar o melhor de cada músico. Mas a atmosfera respeitosa e a boa comunicação entre os membros incentivaram que todos os membros pudessem opinar sobre o trabalho do outro.

Track-list: 1. Burn To Emerge, 2. Blinded, 3. Shaped By Fire, 4. Undertow, 5. Torn Between, 6. Gatekeeper, 7. The Wreckage, 8. My Own Grave, 9. Take What's Left, 10. Redefined, 11. Only After We've Fallen e 12. The Toll It Takes.

Visita à banda em: www.asilaydying.com
www.facebook.com/asilaydying/

AS I LAY DYING - Shaped by Fire

R$33,00
AS I LAY DYING - Shaped by Fire R$33,00

O combustível reacende as chamas. E depois do incêndio, novas possibilidades brotam das cinzas. Renovando a irmandade que remonta há quase duas décadas, o AS I LAY DYING apresenta seu sétimo e novo álbum de estúdio, com o título muito apropriado de Shaped By Fire, após sete anos de silêncio. E as suas onze faixas representam o início de uma nova e ousada era para o quinteto de San Diego. "Para mim, este é o álbum mais significativo do AS I LAY DYING", afirma o guitarrista Nick Hipa. "Cada álbum contém quem você é e o que você já passou. Neste momento, passamos por mais do que eu imaginava, mas todos crescemos. Tenho muito orgulho dos meus colegas de banda e do que fizemos. Nós nos tornamos melhores músicos e melhores pessoas. As pessoas ouvirão só coisas positivas de nossa jornada até hoje...". O renascimento está enraizado no impressionante legado da banda. Desde a sua formação em 2000, a banda vendeu mais de 1 milhão de álbuns em todo o mundo, ganhou um Grammy em 2008 na categoria "Best Metal Performance", teve duas estreias no Top 10 no Billboard Top 200, foi ouvida centenas de milhões de vezes nas plataformas de streaming, lotou shows em todo várias partes do mundo e levou para casa o prêmio da MTV Ultimate Metal God de 2007. Após um hiato de cinco anos, em meio a lutas pessoais, os músicos se reconectaram no início de 2018. E antes de qualquer nota musical ser tocada, eles se concentraram em onde tudo começou e um dos pontos fortes da banda: a amizade. "Queríamos facilitar as coisas?, relembra o guitarrista Phil Sgrosso. ?Nós nos conectamos primeiro como amigos novamente. Então começamos a discutir o que poderíamos fazer musicalmente. Muitas ideias surgiram e decidimos fazer um show em San Diego". O citado show, que teve todos os seus ingressos vendidos em dois minutos, serviu como o primeiro de uma série de ?pequenos objetivos? a serem alcançados, de acordo com o baixista Josh Gilbert. Tendo esse apoio esmagador, eles resolveram lançar o single ?My Own Grave?, que foi 13 milhões de vezes ouvida no Spotify em poucos meses. Simultaneamente, os músicos escreveram e gravaram o que se tornaria ?Shaped By Fire?, assumindo as rédeas da produção e engenharia, com uma pequena ajuda do velho amigo e colaborador Adam D do Killswitch Engage. Desta vez, a gravação aconteceu de forma individual para permitir capturar o melhor de cada músico. Mas a atmosfera respeitosa e a boa comunicação entre os membros incentivaram que todos os membros pudessem opinar sobre o trabalho do outro.

Track-list: 1. Burn To Emerge, 2. Blinded, 3. Shaped By Fire, 4. Undertow, 5. Torn Between, 6. Gatekeeper, 7. The Wreckage, 8. My Own Grave, 9. Take What's Left, 10. Redefined, 11. Only After We've Fallen e 12. The Toll It Takes.

Visita à banda em: www.asilaydying.com
www.facebook.com/asilaydying/