Estamos vivendo tempos de extrema e absoluta brutalidade!

Em 1993, o americano Believer lançava um álbum simplesmente espetacular intitulado Dimensions, um trabalho que ficou na história por misturar um profissional Thrash Metal com partes sinfônicas e duetos de vocais distorcidos com líricos. Quase duas décadas depois, em 2009 foi a vez do debut Gabriel. Ao que parece, quando lançaram Dimensions no século passado, os membros se afastaram de suas atividades, se casaram, tiveram filhos, envelheceram e tudo mais. 16 anos depois, decidiram voltar para registrar o novo trabalho. E evidentemente a idade influênciou no trabalho, porém não no sentido ruim, perda de qualidade ou algo do tipo, mas sim na característica da banda que de fato ficou até certo ponto diferente. Gabriel é um dos poucos álbuns hoje em dia que é muito progressivo e mais cru ao mesmo tempo; remanescente da morte em alguns aspectos. As guitarras, na maioria das vezes, têm uma atitude do tipo "soco na cara"; como uma criança em um show de Thrash Metal. Os vocais são tão duros e polidos e não cruzam com Death e Black Metal. Uma mentalidade despojada de "faça mais com menos" é aplicada à bateria, junto a um baixo com bom acompanhamento. Em camadas do núcleo principal da música estão alguns elementos sinfônicos interessantes, bem como alguns músicos convidados surpreendentes. Provavelmente o maior nome entre os convidados aqui para os metalheads mais jovens é Howard Jones, do Killswitch Engage enquanto que o público mais velho ficará feliz em saber que Rocky Gray do Living Sacrifice empresta sua habilidade para o álbum também. Os outros convidados deste álbum ajudam a adicionar um pouco mais de dimensão ao som geral e a sensação de Gabriel, sem distrair os ouvintes da banda principal.

Track-list: Medwton, A Moment In Prime, Stoned, Redshift, History Of Decline, The Need For Conflict, Focused Lethality, Shut Out The Sun, The Brave e Nonsense Mediated Decay.

BELIEVER - Gabriel

R$88,00
BELIEVER - Gabriel R$88,00

Em 1993, o americano Believer lançava um álbum simplesmente espetacular intitulado Dimensions, um trabalho que ficou na história por misturar um profissional Thrash Metal com partes sinfônicas e duetos de vocais distorcidos com líricos. Quase duas décadas depois, em 2009 foi a vez do debut Gabriel. Ao que parece, quando lançaram Dimensions no século passado, os membros se afastaram de suas atividades, se casaram, tiveram filhos, envelheceram e tudo mais. 16 anos depois, decidiram voltar para registrar o novo trabalho. E evidentemente a idade influênciou no trabalho, porém não no sentido ruim, perda de qualidade ou algo do tipo, mas sim na característica da banda que de fato ficou até certo ponto diferente. Gabriel é um dos poucos álbuns hoje em dia que é muito progressivo e mais cru ao mesmo tempo; remanescente da morte em alguns aspectos. As guitarras, na maioria das vezes, têm uma atitude do tipo "soco na cara"; como uma criança em um show de Thrash Metal. Os vocais são tão duros e polidos e não cruzam com Death e Black Metal. Uma mentalidade despojada de "faça mais com menos" é aplicada à bateria, junto a um baixo com bom acompanhamento. Em camadas do núcleo principal da música estão alguns elementos sinfônicos interessantes, bem como alguns músicos convidados surpreendentes. Provavelmente o maior nome entre os convidados aqui para os metalheads mais jovens é Howard Jones, do Killswitch Engage enquanto que o público mais velho ficará feliz em saber que Rocky Gray do Living Sacrifice empresta sua habilidade para o álbum também. Os outros convidados deste álbum ajudam a adicionar um pouco mais de dimensão ao som geral e a sensação de Gabriel, sem distrair os ouvintes da banda principal.

Track-list: Medwton, A Moment In Prime, Stoned, Redshift, History Of Decline, The Need For Conflict, Focused Lethality, Shut Out The Sun, The Brave e Nonsense Mediated Decay.